É final de ano, muitas festas estão por vir, muitos presentes serão ganhados. Amigos ocultos, muita comida e bebedeira, tempo de festa. Tempo de fazer muitas compras e contas. E Jesus? Onde está Jesus nisso tudo?
O Natal é, teoricamente, a data de comemoração do nascimento de Cristo. Mas na verdade Jesus não nasceu dia 25 de dezembro, parece que foi um tal de Tamiris que nasceu nessa data, e Jesus tomou pra si como seu aniversário (acho que nem ele sabe que o aniversário de seu nascimento é comemorado nessa data).
Jesus quando nasceu, era uma criança como as outras, que não sabia nem a próprio dia que nasceu. É utopia pensar que uma grande estrela levou 3 reis magos para onde estava Jesus. É uma história bonita, mas não passa de uma história.

Claro que depois de morrer, um messias tinha que ter uma biografia de vida digna de seu posto, daí foi criada toda a sua história que existe nas escrituras sagradas. O cristianismo acabou espalhando coisas extraordinárias sobre ele, as quais ele nem tem noção.
Antes de morrer, provavelmente ninguém tinha perguntado a nosso messias, o data de seu nascimento, já que apenas depois de sua morte, que ele se tornou mártir. Logo, ele precisava de uma data de nascimento que seria comemorada todos os anos até a eternidade (o poder do marketing na antigüidade, não foi Jesus Cristo que criou o cristianismo, foi o marketing bem feito pelos seus apóstolos).

Por muito tempo, o natal realmente foi festejado como uma festa religiosa, para lembrar dos exemplos de nosso Mestre. Mas com a chegada do capitalismo, o natal de torna a data de mais movimentada no comércio, tirando assim seu suposto mérito espiritual, para se transformar em uma festa estritamente comercial.
Muitas promoções são feitas nessa data, as lojas fecham mais tarde, tudo na esperança de dobrar ou até triplicar o lucro nesse mês. Pouquíssimas pessoas que conheço (e em geral são mais velhas) rezam durante a meia noite, para festejar o espírito religioso do natal que está cada vez mais escasso.
No final, o natal de hoje, se resume em ganhar presentes. Apenas. E só.

Posted byTrunkael | Marcadores: , | às 11:49 | 2 comentários

Gostaria de saber por que seu e-mail não está funcionando, e por que você não respondeu o ultimo.
Gostaria também, de entender o tipo de diálogo que estamos tendo por aqui, para algo unilateral dos dois lados. Interessante.
Seria interessante também, se eu tivesse mais cometários, meu único leitor.
E talvez, quem sabe, discutir uma coisa ou outra.

Posted byTrunkael | Marcadores: , , | às 10:22 | 1 comentários

É o novo título desse Blog, isso por que o meu arquivo de word, em que digito as idéias relâmpago, tem esse nome. É também menos umbiguista.

Knock Knock Avatar

Deus poderia até ter se arrependido de sua criação, mas preferiu melhora-la, nunca teve vergonha dela a ponto de apagar partes de seu passado.

Ermitão

Hoje, andando sozinho por uma cidade que não conhecia, e também quando estava, de ônibus, voltando dela, tive tantas idéias e tantos pensamentos interessante que eu só pensava em chegar em casa para transcrever tudo aquilo, mas como sabem, as idéias tem um estranho prazer de nos pegar apenas nas horas impróprias. Por isso, sempre andem com um pedaço de papel e uma caneta no bolso.

Posted byTrunkael | Marcadores: , | às 08:42 | 2 comentários

Daqui eu vejo um bêbado cambaleando pela rua, e não é a primeira vez que o vejo, possivelmente todos os dias faz esse mesmo trajeto após gastar um dinheiro, que não tem, em várias doses de pinga. Deve estar muito feliz tropeçando nas próprias pernas, e logo depois caindo no chão para acordar somente amanhã, pois faz isso quase todos os dias.
Será que ele não trabalha?
Sim, deve trabalhar, possivelmente é servente de pedreiro, e não tem horário certo para o serviço, por vezes deve capinar algum quintal ou vender coisas que acha na rua. E assim ganha seu dinheiro para beber pinga, tropeçar, cair, e não mais levantar. Isso sim é felicidade.

Agora imagina os outros cidadãos que passam por ele, e se horrorizam pela sua figura sombria e fedor insuportável. Vejam então que um cidadão pensa enquanto passa a seu lado:
"Deveríamos cortar a raiz de sua existência, pois veja bem, ele apenas bebe. Não faz bem nenhum à sociedade, na verdade até incomoda as pessoas, o mundo, certamente, iria agradecer se sua alma deixasse esse corpo imundo."
Ah sim, matar aqueles que não merecem viver, quem dera a inteligência humana desse um pouquinho de espaço à seleção natural, para que parasitas sem passado e nem futuro, não tivessem nem seu presente. Mas quem somos nos para julgar? É isso que a senhora que passou ao seu lado agora pensou:
"Pobre criatura de Deus, se eu tivesse dinheiro eu o daria uma boa casa para morar com a família, e seus problemas seriam resolvidos com meu dinheiro, para com que ele não mais precisasse beber para esquecer os problemas, pobre criatura..."


Uma criatura de Deus, ser humano assim como eu e você, que se tivesse dinheiro, na certa cuidaria mais de sua família e com certeza beberia mais do que deveria. Maldito ser humano que não se contenta com nada, e nunca aprende a lição. Quantos miseráveis passam por nossa vida pedindo dinheiro para sua passagem de ônibus e logo que viram a esquina já estão tomando cachaça? Ah sim, esses merecem encontrar com nosso senhor, mas não aqui na terra. Mas ele tem uma família, tem um filho pequeno que ainda o acha o herói de sua geração:
"Papai chegou, papai chegou" e o bêbado entra em seu pequeno barraco tropeçando em seus filhos e recebendo um abraço do caçula, que ainda não teve tempo de cultivar nenhum ódio pela sua bebedeira. E num ímpeto que só um bêbado tem, um tapa derruba o pobre caçula no chão, que assustado se refugia entre as pernas de seus irmãos. "O que aconteceu com papai? snif, snif".

E logo a mamãe chega xingando seu marido irresponsável que só sabe beber, e logo toma dois socos na cara, para lembrar que ele é o homem da casa, e que ele coloca a comida na mesa, e por causa disso ele tem o direito de beber e de ter outras mulheres. Tudo isso pode ser entendido com aquele soco, pois é a linguagem que ela está acostumada.
Ela foge para casa da vizinha dizendo que não voltará nunca mais, mas quando abre a porta do barraco vizinho, vê sua amiga no chão, chorando, esperando que alguém lhe ajude, pois seu marido chegou bêbado em casa.
Choro sobre choro, nada se resolve, tudo se esquece.
E aquela crente passa do lado do bêbado, olha para a miséria em pessoa, para a forma humana por trás do fedor e embriagues, e entre lágrimas por ter tudo que sempre quis, resmunga em sua mente: "É dos pobres o reino do céu"

Posted byTrunkael | Marcadores: , , | às 11:49 | 1 comentários

Enquanto eu estou aqui sentado tentando escrever algo, tem um mosquitinho me atormentando. Há um calor insuportável à minha volta, há a imagem da minha mãe me xingando por coisas pequenas e há um livro chato que me obriga a ser lido, e tem um mosquito me atormentando. Era como se ele, a incansável mosca, fosse a mistura de meus "pequenos" problemas, e para que eu saiba que ele está ali, ele se mantém perto de meu rosto, e fica batendo sua cabeça no meu nariz, pousando na minha testa.

Não importa se estou aqui na locadora, ou em casa, sentado no sofá, esperando que meus pais achem mais algum defeito em minha atitudes, e depois formalizem em um grande sermão que fala as mesmas coisas de sempre, e que eu já estou cansado de saber. E se eu der um "pio" a meu favor, vão falar que eu acho que sou o dono da verdade, e que ninguém pode me contradizer (interessante, eles não aceitam minha opinião, e eu sou o dono da verdade). Oh como são sábios meus pais, que querem que eu seja o que eles nunca foram. Quer que eu entenda o que eles nunca entenderam e tudo isso sem diálogo, somente com informações unilaterais.

Eu poderia me empenhar mais no meu trabalho, sim, eu poderia, mas há sempre um livro aqui, e esse livro, mesmo que seja chato, é sempre bem mais interessante que atingir as pseudo-metas que meus pais me colocam. E eu estaria, sim estaria, lendo esse livro chato se eu não estivesse escrevendo sobre ele, ou se não estivesse vendo algum filme que eu vou detestar, ou ate me concentrando nas coisas que meus pais dizem. Desculpas e mais desculpas, fugas e mais fugas, fugindo até de outras fugas.

Deve ser o calor, sim, preciso de um ventilador aqui, pois assim ele vai espantar esse mosquito chato de perto de mim.

Posted byTrunkael | Marcadores: , , , , | às 11:48 | 1 comentários

Acabei de pegar as capas dos últimos filmes do Steven Seagal e li as sinopses (sim, pois eu não teria coragem para assisti-los, não estou preparado para tanta ação) e vejam, as histórias são ligeiramente diferentes, no "O Forasteiro" ele não busca vingar a morte de um ente querido. Por causa disso eu ri na cara dos dois Seagals que estavam em minha frente, e lembrando da palavra vingança, aproveitei para rir na cara do Vin Diesel que estava na capa do "O Vingador" êta filminho ridículo sô.

Filme - The Wisher

Já que falei sobre esses filmes burros anteriormente, vou falar sobre a ridicularidade cinematográfica: The Wisher.
Quando vi sua propaganda na revista eu pensei: "hum, parece massa" com aquele típico sorriso no rosto de quem vai assistir um grande filme. E já que eu já tinha comentado algo, com alguém sobre "O Chamado" peguei o Wisher para assistir.
O filme que fala sobre um filme que leva pessoas à loucura. O filme de maior bilheteria da década e bla, bla, bla.... A protagonista sente tesão quando está com medo, e assiste todos os filmes de terror que são lançados, mas este ela não assiste até o fim (não entendi por que, não há um motivo explicado para isso).
De repente seus desejos mórbidos mais profundos (como a morte do pai, o incêndio na escola e a amiga que tem a língua cortada) se transformam em realidade... ela fica com medo... acha que é paranóica... suspeita do garoto que tá afim dela... corre... corre... corre....
Daí ela baixa o filme de 200mb em seu notebook com apenas um segundo (uau) vê no final do filme aquilo que falam no começo (esses caras são ridículos mesmo) e depois quando o sujeito vai falar a maneira de matar o Wisher (que é desejar...) o computer trava (mais um ponto para microsoft).
O suspeito que gosta dela chega na casa dela, mas o Wisher o ataca, ela grita, ela corre, o Wisher vai atrás dela mas não a machuca, até que finalmente num mar de desespero ela tem a brilhante idéia de desejar que ele se mate, e adivinha, ele começa a se cortar todo, e ela descobre que é o amiguinho dela, que era obcecado e assistiu muito o filme.
Há sim, esqueci de uma coisa, nesse filme (no filme dentro do filme) tem mensagens subliminares, que até agora não entendi a razão, são simbolozinhos, que teoricamente tiveram um forte impacto sobre a mente frágil do pobre obsessivo. Daí eles fala um pouco sobre esse assunto, como se fosse uma grande novidade.
E é isso galera, se quiserem rir um pouco assistam "The Wisher" pois é uma comédia.

Filme - O Chamado

Filme perfeito até que a menina sai de dentro da televisão =.=¿

- Hum... Rafael Henrique Martins, mora na periferia, provavelmente com os pais, trabalha em uma locadora de periferia, provavelmente dos pais... O que você quer ser quando crescer Rafael?
- Quero... - soluços - ...ser professor...
- Professor? De que?
- Filo... - ele bate na minha cabeça - Filosofia, Filosofia...
- Hum... Professor de filosofia ein... E com certeza quer estudar na federal, pois conseguir emprego como filosofo já é díficil, mais ainda se for de pequenas universidades...
- É... tenho que estudar...
- E o que está fazendo nessa locadora de periferia, seu merdinha?
- Meus... - mais soluços - ...meus pais, eles esperam que eu estude e trabalhe e passe na federal...
- E por que não faz o que ele mandam? Por que não estuda igual um louco pra passar nessa porcaria de uma vez?
- Eu... eu não sei se é realmente isso que eu quero...
Ele dá uma gargalhada tão sarcástica que eu tento descreve-la mais não consigo - ...Viu? - ele pergunta para alguém que não sou eu - Eu não te disse? Esses novos adultos de hoje não sabem o que querem, simplesmente são uns inúteis... E todos os inúteis devem morrer...
- Não, não, nahahão... - entre soluços - não me mate, por favor...
- Bom Rafael, para não morrer você terá que fazer uma coisa, buscar por aquilo que você gosta e começar a trabalhar... Se quer ser filosofo que seja, se não quer largue o curso no meio e comece outro, pois um dia você acerta, só que não vai poder parar, pois se parar eu vou atrás de você e te mato, tá me entendendo?
- Sim, sim...
- Te mato, ouviu? Te mato... Agora corra...
Me levanto e começo a correr, tropeço caio, e sem olhar para trás, esperando um tiro pelas costas, continuo a correr.
- Corra Forrest, corra.... Sabe... amanhã vai ser o melhor dia da vida dele...

Posted byTrunkael | Marcadores: , | às 03:44 | 1 comentários

Há ocasiões em que se acredita piamente em algo. E dai você começa a tentar provar aquilo que você acredita, por que não importa apenas ter fé que existe, mais também é necessário ter segurança, obtendo assim uma prova irrefutável da existência de seu "mito". "Algumas coisas só podemos acreditar, e as outras podemos provar pela razão e a ciêcia" algum filósofo disse isso, não me lembro quem.

O fato é que muitas vezes nos agarramos tanto a coisas que podem nem existir, que acabamos frustrados na busca por provar aquilo que é improvável. Por que enquanto você próprio duvidar da existência tentando provar que existe, você acaba por deixar de acreditar. E quando se perde a fé é impossivel encontrar aquilo que se procura.

(espero que não tenha lido isso achando que tem haver com religião)

Primeira vez que leio um livro de ação, até que achei bem interessante. A receita é a mesma, pegue um mocinho, uma mocinha, que não podem morrer, mais uns mocinhos descartáveis, que sempre morrem tragicamente, dê um motivo pro mocinho lutar contra o homem mau (tipo a morte de seu irmão) e um motivo pra mocinha encontrar com o mocinho. Daí eles vão lutar contra um cara mau, que tem uma filha má, e muitos capangas desacatáveis maus. O chefão só morre no final, e os dois protagonistas ficam juntos no final. Simples. Agora jogue tudo isso dentro do livro "Eram os Deuses Astronautas" e está feito o "Caçadores do Tempo".

Bom livro

Posted byTrunkael | Marcadores: , , , | às 03:39 | 1 comentários

Venho discutindo esses dois assuntos a muito tempo com BM então resolvi fazer uma dissertação sobre isso aqui (ou tentar pelo menos). 


Em conceitos simples, sexo é um ato de reprodução e amor é um sentimento.
"Crescei e multiplicai" não é apenas uma ordem divina, é uma lei da natureza. E o método de reprodução dos mamíferos é o sexo. O ser humano, ainda em sua fase animal da evolução, fazia sexo assim como qualquer outro animal: a mulher estava no "cio" os homens lutavam para que o mais forte pudesse "copular" com dela e passar seus preciosos genes. 

Com o tempo, o homem começou a ficar inteligente, e com a inteligência vieram as palavras, e também os sentimentos não instintivos: o amor, o ódio e todos os outros "sentimentos" gratuitos que vieram em seguida, algo que sempre ligava um ser humano a outro ser humano. 

Com o amor, veio a monogamia, ou seja, o amor (talvez a inteligência) age contra as leis da natureza.
Durante a história da humanidade o sexo passou por uma série de transformações. O que antes era estritamente um meio de reprodução, passou por rituais, arte, recompensa, mercadoria até que chegou à mais sublime forma de prazer (em todas as suas formas e posições).

Então tivemos separações no amor (enquanto sentimento) podendo dividir em: Amor maternal, incondicional; o amor instintivo, que seria um tipo de "amor a primeira vista" que é mais determinado pela atração sexual do que pelo lindo sentimento que (teoricamente) brota depois; temos também o amor entre amigos e/ou irmãos, que um tipo de amor que mistura um tipo brando de ciúmes e necessidade de proteção; e por ultimo o amor dos eternamente apaixonados, que, normalmente, acontece entre um homem e uma mulher, que se cassam e, literalmente, são felizes para sempre. Como podem perceber, o ultimo, e mais procurado, é também o mais utópico.

Voltado ao sexo, gostaria de fazer algumas perguntas: o sexo é apenas um meio de reprodução? Creio que não, como vem sendo provado, o sexo é muito mais uma fonte de prazer que um ato reprodutor. Mas sexo é apenas um ato de prazer, ou de reprodução? Creio que também não. O sexo como já havia mencionado, já foi visto de várias formas e vários ângulos. Tendo um tipo de estabilização nos dias de hoje, onde toda a forma de sexo é praticada pelo mundo. Há quem diga que sexo é pura arte, ou que sexo é um tipo de meditação. 

Interessante também, ver que muitas correntes religiosas dão demasiado valor ao sexo, como se fosse aquilo que há de mais sagrado na face da terra. Utilizando-o em milhares de rituais, que teoricamente, agradam seu deus (e depois alguém descobre que eram apenas orgias por puro prazer). Poderia dar alguns exemplos, mas seria crucificado por causa disso. 

O fato é que uma coisa a maioria das pessoas concorda. O ser humano tem uma energia sexual, um tipo de reserva de força de vontade para ser usada em prol do sexo. Dizem que o mal do mundo começou quando o equilíbrio dessa energia foi afetado. Alguém ai já deve ter ouvido falar sobre a energia sexual sendo utilizada cada vez mais em prol do trabalho. 

Então concentremos nessa energia sexual, misturada ao amor, que pode ser considerado um tipo de energia também, e a utilização de dos os sentidos no momento do "amor', daí teríamos um efeito muito interessante, um tipo de embriagues amorosa que seria a melhor sensação que um ser humano poderia sentir em sua vida.
Claro que essa busca não é simples, e, com certeza, parece muito utópica, mas como já mencionei, há várias formas de amor e várias formas de amar.

Posted byTrunkael | Marcadores: , , | às 03:13 | 1 comentários

Acabei de assistir esse filme, é bem interessante. Vou resumir a história: 


Pessoas que usam marca-passo morrem ao mesmo tempo, pombas voam desnorteadas batendo nos prédios, aviões caem. Tudo isso por que o campo eletromagnético da terra começa a pifar, pois o núcleo estava parando. Rapidamente eles juntaram um punhado de especialistas no assunto, construíram uma máquina que um dos malucos da ciência tinha projetado, e os 6 melhores começaram em sua "viagem ao centro da terra".
Não vou entrar nos detalhes técnicos. 

Eles teriam que explodir algumas bombas atômica la próximo ao núcleo para faze-lo se mover novamente, daí os 4 personagens morrem na viagem, sobrando apenas a mocinha e o mocinho, que conseguem salvar o mundo, mas ainda estão presos no núcleo, prontos para morrer. 

Daí vem a parte mais mentirosa do filme. Lá dentro temos um homem, novo, solteiro, boa pinta, pronto para morrer dentro de alguns minutos. Temos também uma mulher, muito bonita, solteira que vai morrer. Eles ficam deitados um do lado do outro por meia hora, e não há nem uma menção a fazer sexo. Eles vão morrer, um do lado do outro, sem se amarem. 

Impensável.

Designer Webdesigner

Copyright 2010 Devaneios Gratuitos